Uma Sinopse

sinapse.jpg

 

É isto.

Meia sinapse. Devaneio…

 

Porque a cuca falha, a mente mente.

E a consciência insanamente

tateando, cheirando, degustando

de si no mundo vai processando o mundo em si. Depoimento…

 

Das abissais sombras emerge

no sereníssimo lago da sanidade.

Esquecimento aqui,

lá dentro o silêncio,

beleza ali. Percepção…

 

Toda via…

Os lances da linguagem e os enlaces da Pessoa são

inadequados, prolépticos, provisórios,

para sempre.

Feito meia sinapse. Nostalgia…

 

Meu palavreado. Livre e honesto!

Advertisements

~ by Marcio Anhelli on November 9, 2007.

2 Responses to “Uma Sinopse”

  1. Da sinapse à silepse, a vida segue o curso transposto dos embriagados…

    Troca as pernas, anaforicamente.
    Retoma em sua dêixis o que já foi e torna-o ilustre desconhecido.
    Pronome que nos faz terceira pessoa e o outro, tratamento.

    Palavras, e tudo volta ao seu lugar: lugar nenhum.
    Meu palavreado é o não lugar
    E a morada em mim é infinita ilha.
    Envolta pelo embriagado rio de águas soturnas,
    Que caminha de volta para o isolamento e caos…

    Somos irmãos de pernas trôpegas.
    Fico bem em saber que ambos somos terceiras-pessoas.
    E me reconheço em suas palavras com nostalgia e saudade.

    Abraços!!!

  2. “Antes sejamos breve que prolixo!”
    Valeu meu camarada, passe sempre por aqui…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: